Turquistão!

Se olhássemos mapas antigos, estaríamos viajando pelo Turquistão. Mas o que é antigo? A pouco tempo acabei de ler os Livros do Marco Polo e do Ibn Batuta (viajante marroquino que percorreu metade do mundo). Comparava impressões de lugares que eles tinham com as nossas. Alguns lugares já eram antigos quando eles passaram ha 700 anos atras, outros foram se formar bem depois deles, mas já são antigos para nos. De qualquer maneira são vestígios de civilizações  historia, acontecimentos e pessoas. É como se existisse um ciclo. E se tem o ciclo de acontecimentos, existe também o ciclo de curiosos, e estávamos felizes por fazer parte destes.

Depois de 22 horas em um trem sem ar condicionado, e com altas temperaturas, chegamos em Tashkent. Como era uma sexta feira, aproveitamos para ir direto na embaixada da China, que estava aberta neste dia. Não e que deu certo! Acabamos conseguindo o visto no mesmo dia. Ficamos na casa de uma família que recebe bastante estrangeiros. Os quartos super bons, mas da pena da família, que não tem espaço nenhum na sua própria casa. Como tínhamos acesso a cozinha, aproveitamos para fazer arroz, batata, e logo curar nosso problema. A guest house era um ponte de encontro com as pessoas que viajam pela Asia Central, encontramos algumas pessoas fazendo o trajeto bem parecido com o nosso, alem de algumas delas terem encontrado com pessoas que também conhecemos na estrada. O mundo parece muito pequeno para quem viaja por aqui!

A grande piada dos viajantes era que a maior atracão de Tashkent era a estacão de trem. Todo mundo ficava feliz de ir embora. Mas como tínhamos que pegar o visto para a India, resolvemos aproveitar como podíamos  A temporada de opera estava suspensa devido o inicio do verão  mas mesmo assim fomos no teatro. Ao tentarmos entender que peca estava estava em cartas, e qual eram os preços, acabamos ganhando um convite para a primeira fileira!!!

Foi um programa bem interessante, teatro completamente lotado, mas confesso que depois da primeira meia hora sem entender nada ficou um pouco cansativo, mas valeu super a pena. Ainda demos uma esticada depois num barzinho.

teatro

Passeando pelo meio dos prédios soviéticos, aproveitamos para dar uma esticada no gramado de uma sombra em um parque. Logo um policial veio nos falar que não podia. Estranhamos que tinham pessoas pulando de uma ponte e nadando no rio que passava ao lado do parque, alem de um avo com seu neto tomando banho no chafariz… mas ficar na grama nao podia. Vai entender?!

Vistos encaminhados, pegamos o metro ate a estacão de trem, onde seguiríamos viagem. Normalmente tento seguir uma logística na viagem, mas com a questão dos vistos, tivemos que antecipar a ida para Tashkent e agora voltar um pouco no trajeto, quebrando a logística  Nada demais, e os trens são relativamente bons. Como o destino não era longe, nada de cabines, e sim poltronas estilo avião  com filmes passando nas televisões  Samarkand é o destino mais famoso do Uzbequistão  Eu brincava com a Gi em Londres que o Uzbequistão era super turístico, e Samarkand era o que faltava para assinarmos embaixo da minha afirmação.

rua para os carros eletricos

Para cada mochileiro, tinha um ônibus de velhinhos visitando o lugar. Ao lado dos maravilhosos monumentos, uma rua basicamente só para um carro elétrico que levava os aposentados para cima e para baixo. Jardins, parques, tudo certinho. Monumentos todos reformados, ou sendo reconstruído  Uma pena que em um dos lugares mais interessantes para ver os monumentos – a praça Registan, estava com um palco montado para uma apresentação que vai acontecer daqui a três meses. Um guarda tentou oferecer para subirmos em um dos minaretes em troca de um dinheirinho, mas com cuidado negamos. Madrassas, mesquitas e muitos mausóleos  Um lugar que parece uma rua de mausóleos  um do lado/frente para o outro. O lugar onde o Timur esta enterrado também é aqui, e muitas pessoas veem rezar por ele.

Conhecemos um Uzbek que falava bem inglês e deu para encher ele de perguntas, e bater um longo papo. Num dia, ao procurarmos algo para comer achamos um mercado muito colorido. Grande parte do povo daqui e Tajik (o mesmo do Tajikistao). E uma etnia diferente, que fala uma língua parecida com o Farsi. Alem das roupas coloridas e chapéus, os dentes de ouro também fazem sucesso aqui.

O país e lindo, e toda hora nos questionávamos qual a cidade mais bonita, quais os monumentos mais impressionantes. Mas definitivamente tivemos uma overdose de monumentos. Precisávamos mudar um pouco. Taxi comunitário para Jiza, transporte para a cidadezinha de Yangiqislov, ate chegar na região de Florish. São algumas pequenas vilas na beira das montanhas Nurata, entrada para um parque nacional.

Nada de estrutura de hotéis  pousadas, somente algumas famílias cadastradas para receber turistas. Tínhamos um quarto só para nos, dormindo no chão  é claro, mas com colchoes bem confortáveis  As refeições eram uma atracão a parte, sempre muita comida, e era só se espichar para pegar frutas nas diversas arvores ao redor (pêssegos, amoras, peras, ameixas, etc). De um lado um planalto sem fim, onde dava para ver que tinha água la longe, do outro as montanhas belíssimas  Não imaginávamos quão longe era, e decidimos ir tomar banho no lago. Demorou uma hora e meia, mas compensou para dar um mergulho. Bandos de cabras e ovelhas dava um clima para o lugar, e a noite era espetacular com o céu todo estrelado.

Divertido foi o dia que resolvemos pegar cavalos para andar pela região  Os cavalos da Asia Central sao super famosos, como nao podia ser diferente, pois era uma terra de nômades  Já na saída o cavalo da Bibi disparou, e eu tive que cavalgar atras para conseguir fazer ele parar. A Bibi falava “para, para, help me, pleease”!! Ate agora não sei quem ela achava que iria entender, o cavalo quem sabe!!haha

Por segurança eu fui na frente puxando o cavalo dela com uma corda. O pior é que quando eles ficavam muito perto insistiam em se morder e brigar. Foi um super passeio, passando pelos planaltos, montanhas e vales. Difícil de esquecer, não só pela beleza, mas pela dor física que ficamos depois também…hehe

Muitos quilos de frutas depois, e horas de leitura debaixo das arvores, estávamos voltando para Tashkent para buscar o visto da India e nos despedir do Uzbequistão  Voltamos a mesma guest house, encontramos amigos de viagem e encontramos novos. Andamos diversas vezes pelas estacoes de metro, que apesar de ser só o nosso caminho, eram uma atracão por seus candelabros e painéis  Chato era ter que ficar mostrando o passaporte e registro toda a vez, alem de revistar a mochila. O Uzbequistão é uma ditadura, e você é obrigado a fazer um registro todo lugar que vai. Na verdade o hotel faz para você  mas quando ficamos em Nurata não tivemos este registro, por exemplo. Conversamos um pouco com as pessoas, sobre a dura vida daqui. Todos reclamaram, e teve um couchsurfer que ate mudou de assunto com medo que alguém escutasse.

Os vistos para a Asia Central tem data de entrada e saída  e já chegava a hora de partir. Ate e possível prorrogar, mas isto significaria menos tempo em outro lugar. A unica região que sentíamos por não ter ido era o Vale Fergana. Mas este vale se estende ate o Quirguistão  e passaríamos por lá, então não tínhamos com o que se preocupar. Achamos que como viemos do Irã para o Uzbequistão  acabamos comparando demais os dois países, parecia que o melhor teria sido ter ido primeiro para o Uzbequistão e depois para o Irã. Mas mesmo assim, antes de sair do pais, a caminho da fronteira, já batia aquela saudades…

Anúncios

Vistos para brasileiros

Inicialmente criei esta pagina depois de receber algumas mensagens e e-mails pedindo informações de vistos para BRASILEIROS nas fronteiras. Como muitas pessoas viajam de avião, estou incluindo informações sobre a possibilidade de tirar os vistos nos aeroportos também. Parte das informações são de experiência própria e  parte por terem me falado ou lido. Caso tenham tido uma experiência distinta, por favor comentem. As politicas sobre vistos mudam, portanto busquem saber por outras fontes também. Tentarei sempre atualizar este post quando tiver novas notícias.

Para ver fotos de vistos e carimbos clique aqui

** Para tirar vistos em embaixada, optem por países que fazem fronteira, pois normalmente estão acostumados com o procedimento, ficando assim mais fácil.

1- ÁFRICA:

1.1- Brasileiros não precisam de visto para:

Africa do Sul, Botsuana, Marrocos, Namíbia, Suazilândia, Tunísia, Senegal, São Tomé e Principe

1.2- Vistos da África que podem ser emitidos nos aeroportos:

Burkina Faso, Cabo Verde, Comoros, Costa do Marfim (E-Visa), Djibuti, Etiópia, Madagascar, Maurício, Mauritânia, Gambia, Seychelles, Somalilândia, Somália, Zimbábue, 

Egito– Nova regra 03/15: Vistos  não são mais emitidos nos aeroportosMantiveram a regra antiga e os vistos ainda são emitidos nos aeroportos. Vale a pena confirmar antes.

1.3- Vistos na África que podem ser comprados nas fronteiras:

Quênia, Mauritânia, Ruanda, Tanzânia, Togo, Uganda, Zâmbia, Zimbábue, Gâmbia, Burkina Faso

East Africa Tourist VisaValido para Quênia, Uganda, Ruanda, desde que você não saia de suas fronteiras (Tanzânia não faz parte). Precisa tirar em uma embaixada.

Malawi – ” já é possível conseguir uma “restriction letter” nas fronteiras. Ou seja, pode-se chegar até a fronteira sem o visto e solicitar uma carta autorizando a entrada, com posterior pagamento do visto no Dep. de Imigração em Blantyre. Atenção: se for voar para o Malawi, a cia aérea só liberará o check in se tiver um visto, portanto a “restriction letter” vale só para quem entra por terra. O valor é de 70 USD single entry. O Embaixador do Brasil para Lilongwe já foi mobilizado e em breve a Embaixada
deverá abrir, sendo prioritária a negociação de isenção de visto para turistas brasileiros (devemos ter novidades em 2014). Informação do Mike Weiss, Brasileiro que mora já morou no Moçambique e atualmente mora no Malawi (quando não está viajando o mundo!).

Burundi – Visto de TRANSITO pode ser emitido nas fronteiras, e pode ser prorrogado facilmente na central de imigração.

*Lesoto – O visto NÃO é emitido na fronteira para brasileiros, e na embaixada em Durban pode levar ate uma semana para ficar pronto. Já é possível tirar um e-visa, é caro mas uma boa saida para não esperar tanto tempo. Veja o site aqui

*Congo- O visto NÃO é emitido na fronteira para brasileiros. Existem casos onde se pode deixar o passaporte e entrar para conhecer a região perto da fronteira da Ruanda.

* Etiópia – Visto NÃO é emitido na fronteira com o Quênia, mas e emitido na fronteira com Djibouti. Demorou 24 horas para ficar pronto na embaixada em Uganda. Insistiram que dava para tirar na fronteira, mas cuidado, não da!! (e o caminho e longo se for barrado!!!) 

* Somalilândia – Visto NÃO é emitido na fronteira, mas pode se tirar em 15 minutos na embaixada da Somalilândia em Addis Ababa- Etiópia.

2- ÁSIA:

2.1 PENÍNSULA ARÁBICA:

Catar– Brasileiros isentos de visto. Fiquem atentos pois a regra sempre muda

2.1.1 Visto Península Arábica emitido no Aeroporto

Emirados Arabes – Precisa ser atrelado a uma reserva de hotel. Pode facilitar se tirar com a Emirates Airlines ou com uma agencia como a South Travels (Mike Weiss Recomenda)

Omã

Bahrain (E-visa)

2.1.1 Visto Península Arábica emitido nas fronteiras

* Iêmen – NÃO é emitido nas fronteiras, precisa tirar visto em alguma embaixada. Na Etiópia pedem carta de recomendação do seu país, mas no Djibuti se tira no mesmo dia.

*Arabia Saudita, Kuwait – Visto não pode emitido tirado nas fronteiras e aeroportos


2.2 SUDESTE ASIÁTICO:

2.2.1 Brasileiros Não precisam de visto para:

Tailândia, Malásia, Cingapura, Filipinas, Indonésia

2.2.2 Visto Sudeste Asiático emitido no Aeroporto

Camboja,  Mianmar (E-visa www.myanmarvisa.com/visaprocedure.) Timor Leste, Vietnã (E-Visa www.Vietnam-Immigration.org)

– Visto Sudeste Asiático emitido nas fronteiras:

Camboja

Laos – Visto pode ser emitido nas fronteiras, mas pode demorar bastante.

Timor Leste

*Myanmar – Visto de um dia pode ser emitido na fronteira norte da Tailândia, porem teoricamente os estrangeiros não podem seguir pelas estradas desta região. Na embaixada em Bangkok demora 2 dias.

*Brunei – NÃO pode ser emitido nas fronteiras

2.3 EXTREMO ORIENTE:

2.3.1 Brasileiros não precisam de visto para:

Coreia do Sul, Hong Kong, Macau

2.3.2 Visto Extremo Oriente emitido no Aeroporto e algumas fronteiras

Mongólia

Vistos NÃO podem ser emitido nas fronteiras marítimas nem no aeroporto para:

Japão , China,  Coreia do Norte (precisa fazer parte de um grupo turístico), Taiwan, Tibet

2.4 SUBCONTINENTE INDIANO (Sul da Ásia):

2.4.1 Brasileiros precisam de visto para todos os países do sul da Ásia

2.4.2 Visto Sul da Ásia emitido no Aeroporto

Índia(E-visa), Nepal, Sri Lanka (E-visa  http://www.eta.gov.lk/slvisa)

2.4.2 Visto Sul da Ásia emitido nas fronteiras

Nepal

Outras recomendações

*Bangladesh –  Com a nova embaixada no Brasil, não emitem mais o visto no aeroporto.

* Índia – Visto NÃO pode ser emitido na fronteira. Demora 5 dias uteis para ficar pronto nas embaixadas indianas.

* Paquistão – ATENÇÃO, nova norma no final da temporada 2011 diz que não pode mais tirar visto em Sost vindo da China. Veremos como vai ser em 2013. NÃO pode ser emitido nas fronteiras do Irã e Índia nem no aeroporto.

2.5 ÁSIA CENTRAL:

2.5.1 Brasileiros precisam de visto para quase todos os países da Ásia Central. Somente o Cazaquistão agora esta isento de visto (Set/16).

2.5.2 Vistos Ásia Central emitidos no Aeroporto

Quirguistão, (Sem Carta Convite), Uzbequistão (com carta convite), Tadjiquistão (sem carta convite), Turcomenistão (com carta convite)

2.5.3 Vistos Ásia Central emitidos nas fronteiras

Turcomenistão, se agendado previamente e com guia do governo esperando. Caríssimo!

Visto de trânsito (5 dias) para o Turcomenistão pode ser emitido no Irã.

Tadjiquistão pode emitir um E-visa e usar em todas as fronteiras

Leiam https://saiporai.wordpress.com/2011/04/21/vistos-complicados-2/ para ver como tiramos alguns destes vistos em Istambul.


2.6 ORIENTE MÉDIO:

Israel e Territórios Palestinos – Não precisa de visto. Se for viajar para algum pais muçulmano depois, peça para carimbarem num pedaço separado de papel. (países que não reconhecem Israel como Estado, não aceitam o carimbo no passaporte)
Ir para Cisjordânia é tranquilo (mas os postos de controle israelenses não são simpáticos), só tem que estar com seu passaporte.  Já para Gaza, não estão deixando entrar

Jordânia – Visto pode ser emitido nas fronteiras e aeroportos

Síria – Visto PODE ser emitido nas fronteiras!! Não acredite no Lonely Planet e sites da internet. Entramos 2 vezes e foi super rápido. Somente americanos e algumas outras nacionalidades estavam tendo problemas. Com a guerra não sei como que está.

Líbano – Visto pode ser emitido nas fronteiras e Aeroportos

Curdistão iraquiano- Visto gratuito pode ser emitido na fronteira com a Turquia. Em 2015 soube de pessoas que tiveram o visto negado e outras que conseguiram. Parece que esta mais para loteria.

Turquia – brasileiros não precisam de visto

Irã – Visto não pode ser tirado na fronteira mas pode no aeroporto. (pedem e ligam para o teu hotel e conferem passagem de saída)

*Iraque – NÃO pode ser emitido nas fronteiras. Nas embaixadas de Amã e Damasco da para tirar o visto.

3 EUROPA:

3.1 Quase todos os países brasileiros não precisam de visto:
Albânia, Alemanha, Andorra, Armênia, Áustria, Bélgica, Bósnia Herzegovina, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Geórgia, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Kosovo, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Liechtenstein, Macedônia, Malta, Mônaco, Montenegro, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, Rep Tcheca, Romênia, Russia, Servia (desde Ago/13), Suécia, Suíça, São Marino, Turquia, Ucrânia (desde Nov/2011), Vaticano, Bielorrússia (desde2016)

3.2 Vistos europeus nos aeroportos:

Azerbaijão (e-visa) e Moldávia (E-visa)

3.2 Vistos europeus nas fronteiras:

Transnístria, Verificar como está Moldávia (E-Visa)

 

4 AMÉRICA:

4.1 América do Sul:

Brasileiros não precisam de visto para:

Argentina, Paraguai, Uruguai, Colômbia, Chile, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Suriname, Guiana.

*Guiana Francesa – Brasileiros precisam de visto e não é emitido na fronteira.

4.2 America Central:

Brasileiros não precisam de visto para nenhum país.

Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá (comprovante de passagem de saída do país pode ser solicitado), Belize

 

4.3 Caribe

Brasileiros não precisam de visto para:

Antígua e Barbuda, Aruba, Bahamas, Barbados, Bermuda, Bonaire, Curaçao, Dominica, Granada, Guadalupe, Haiti, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens Britânicas,  Jamaica, Martinica, Montesserat, São Bartolomeu, Saint Kittis and Nevis, Sta Lucia, Saint Martin/Maarten, Saint Pierre, St Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago, Turks e Caicos.

Para Cuba e Rep Dominicana não precisa de visto mas cobram um Turist Card.

Porto Rico- exigem o visto americano

4.4 America do Norte:

México e Groenlândia- Brasileiros não precisam de visto

EUA- Visto Não pode ser emitido na fronteira nem aeroportos

Canada- Brasileiros que estiveram no Canadá nos últimos 10 anos, ou que possuem visto para os USA podem simplesmente solicitar um ETA (Eletronic Travel Autorization) (Clique aqui)

5- Oceania

Brasileiros não precisam de visto para: Nova Zelândia, Cook Islands, Fiji, Polinésia Francesa, Micronésia, Nova Caledônia, Niue, Palau, Samoa, Ilhas Salomão, Toga, Tuvalu, Vanuatu, Wallis e Futtuna.

Papua Nova Guiné – Visto emitido no aeroporto

Austrália – Visto deve ser solicitado eletronicamente com antecedência. http://www.immi.gov.au/

Achei este mapa interessante, no site  http://en.wikipedia.org/wiki/Visa_requirements_for_Brazilian_citizens tem boas informações também, apesar de não considerar a possibilidade de tirar vistos nas fronteiras terrestres.