A Praia

Vi o filme “A praia”, a muito tempo atras. Quando fui para a Tailândia em 2004 vi mais umas 10 vezes, pois como o filme se passa la, muitos restaurantes exibem o filme continuamente. La li o livro, que e muito legal, tem algumas historias que não estão no filme. Me deram o livro, depois que eu li tinha que colocar o nome e passar para frente. Estou fazendo o mesmo com os livros que leio aqui. O filme tem algumas partes meio doideira demais, mas no geral mostra bem a comunidade de viajantes, que vai fazendo amizades, curtindo e tentando descobrir novos lugares fantásticos inexplorados, o famoso ” Universo Paralelo”.

Quando chegamos a Touliar já tínhamos decidido que iriamos pegar o barco e ir para o sul em vez de seguir por estrada para o norte. Anakao parecia mais atrativa, devido ao meio isolamento. Por estradas demorava quase um dia de viajem, apesar da pouca distancia. De barco não mais que uma hora. Ao chegarmos no local onde pegaríamos o barco, já estavam nos esperando.Colocamos as bagagens numa carroça de boi e fomos numa outra. Os carros de boi nos levaram ate o pequeno barco que não estava longe. Contornamos um pequeno porto antes de seguir paralelamente a praia ate chegar em Anakao. Passamos por águas rasas e deu para sentir o que nos esperava, pois a água era impressionantemente azul. Em algumas barreiras de coral dava para ver que teria onda, e com boa formação.  O barco parou bem no meio da bela praia. Um francês veio oferecer um chale mas fomos conferir a pousada indicada pelo pessoal do barco. Pousada bacana, meio isolada, mas estruturada. Resolvemos procurar outra para comparar custo beneficio, alem de conhecer a do francês. Mochilas nas costas e caminhada pela areia. Eu e o Gaku fomos na frente para dar uma olhada. A pousado do francês são só dois chales e um estava ocupado. O nosso teria 2 quartos e era de frente para a praia. O restaurante era um pouco mais para cima, com uma vista fantástica. La era a casa do francês e sua nova família malagaci. Já engatamos num papo na varanda e logo nos sentíamos em casa. Caminhamos para conhecer a pequena vila que não é tão atraente, mas possui vários restaurantezinhos e todos aqueles barcos coloridos. Tentamos achar outra pousada pois na nossa só tinha um banheiro e portas cortina, mas nenhuma tinha o custo beneficio da nossa (existem pouquíssimas opções). Toda hora ofereciam lagosta, por preços que quase não acreditávamos. Fiquei sabendo que tinha um barco com sulafricanos que vieram só para pegar onda, então já tratei de arranjar uma prancha para alugar para o dia seguinte. Na verdade fechei com um barco para surfar enquanto a Bibi e o resto do pessoal iam ver umas baleias. Depois todos iriamos para Nosi Ve pegar praia, comer lagosta e mergulhar.

Carro de boi

Carro de boi

Cores

Cores

Voltamos para a pousada e descobrimos que a comida era maravilhosa. Isto fez com que nem comêssemos em outros lugares, apesar da pousada ser mais cara. O lugar era simplesmente demais.

O pessoal decidiu que iria ver as baleias e ir para a ilha em outro dia, então eu acordei que só eu que iria, e só para surfar. O barqueiro falava francês quase que nem eu (nada!) e acabou dando uma confusão. Por sorte o dono da pousada tava junto e viu o final do acordo.Tinha combinado de sair as 6 hs, e 5 e pouco já tava tomando cafe e preparado. Tava ventando, o que eu queria evitar ao acordar cedo. No horizonte se formava um arco iris, e uma tempestade. O cara demorou um monte e quando chegou queria que todo mundo fosse, se não não ia. Fiquei puto, e depois de discutir um monte acabei acertando com um amigo dele. Não teria como convencer o pessoal de ir na chuva. Sai, de bermuda, camiseta, capa de chuva,e prancha. Era uma canoa com motor, com aqueles apoios laterais para dar estabilidade. Fomos indo mar a dentro em direção a barreira de coral onde as ondas se formam. Não demorou muito para eu ver o barco dos sul-africanos do lado de uma espumeira branca, mas estava muito longe para ver as condições. Chovia relativamente bastante, e o mar tava meio bagunçado. Só quando chegamos mais perto que vi que realmente tinha onda. Deu aquele friozinho gostoso na barriga. Passei a jaqueta para o barqueiro e me joguei na água. Estava do lado de onde estava quebrando as ondas, e logo a corrente me jogou para traz. Vi que seria “remadeira. E foi, não dava para parar de remar, se não ficava de fora do ” pico”. Tinham 6 sul-africanos, mas  para minha sorte não mais que 3 ao mesmo tempo na água. A chuva foi diminuindo ate parar. O vento demorou um pouco mais, mas logo parou e o tempo abriu. Logo as ondas tomaram formas perfeitas e um tamanho considerável. Foram horas de excelentes ondas, dividindo somente com 2 ou três outras pessoas. No inicio fui meio devagar, pois o coral não e muito fundo. Também tentava não lembrar que as águas de Madagascar são infestadas de tubarões. Nunca teve ataque, mas vai que mudam a dieta bem quando eu to ali. Não posso dizer que peguei muita onda. Devido a remadeira cansei rápido. Achei que minha performasse seria melhor, devido a qualidade das ondas, mas deu para curtir bastante. Ultima vez que tinha surfado foi em Coffe Baii, na Africa do Sul. Lá também tinha tido sorte, pois tinha onda e tava tendo WQS (campeonato mundial seg div) em Durban, e dividi as ondas só com um australiano.

Esperando o barco com este visual

Esperando o barco com este visual

Crawde em Anakao

Crawde em Anakao

Muita onda, pouca gente!

Muita onda, pouca gente!

Voltei para a pousada tarde, com aquele sorrisão na cara, quando o braco já não respondia, e estava sozinho na água. Deu tempo comer alguma coisa e ficar largado de frente para a praia com a Bibi. Crianças nos cercaram para vender de tudo. Como não compramos nada, resolveram cantar para pedir dinheiro. Percebemos a malandragem, e cada musica que cantavam, nos cantávamos de volta. Final das contas nos divertimos, mas nem deu para conversar ou ler. No jantar tínhamos encomendado lagosta. O prato tava delicioso e tinha “só” três lagostas para cada um. Ficamos conversando, tomando uma cerveja e jogando.

Outro dia pegamos uma canoa/jangada. Não era com motor e sim com vela, mas um sistema diferente das Dhow do Leste da africa. Fomos ate a pequena ilha que fica logo a frente de Anakao, Nosy Ve. Na chegada na ilha nem falávamos, de tao hipnotizados que estavamos com o vizual. Que praia!!

Chegando em Nosy Ve

Chegando em Nosy Ve

E uma ilha sagrada, portanto não tem construções. A Bibi e a Koku ficaram tomando sol e eu e o Gaku fomos dar a volta na ilha. Algumas especies endêmicas de pássaros e praias paradisíacas. Difícil de saber qual o lado mais bonito da ilha. No mais só ficar largado e curtir a praia, onde só tínhamos nos. Chato, né?! O lugar e tao bonito que a gente fica ate meio bobo. Encontramos o espanhol que tava na mesma pousada que agente. Ele foi ver as baleias com uma francesa e ela teve que voltar, ele ficou para ir com a gente.

Praia de fora

Praia de fora

Praia de dentro

Praia de dentro

Na volta ventou muito. A Bibi foi quem mais se molhou. tivemos que fazer uma triangulação para conseguir pegar o vento próprio para voltar, e quando isto aconteceu decolamos. Chegando tomamos banho e fomos para um barzinho na vila, para fazer a nossa despedida da praia.

Anakao não e “A Praia”, já ta “popular” demais para isto, mas curtimos o nosso ” Universo Paralelo” la.

Ps- Depois acabamos sabendo de uma praia, bem mais longe, isolada, e bonita que Anakao. Falaram que deixa Anakao no chinelo. Não tivemos tempo de ir (só soubemos quando estávamos em Tana), mas se algum se habilitar estamos vendendo o Mapa!!

Anúncios

6 comentários em “A Praia

  1. As fotos ficaram incríveis, quero voltar p/ Anakao agora e comer a comida alucinante da Cristina e dar risada com os japoneses.
    Que saudades de Anakao e de voce entao, nem se fala!!!

  2. Que liiiindo!!!

    Ontem vi um documentario com o Stephen Fry sobre os aye aye e mostraram os indri também. Fiquei morreeeendo de vontade de ir pra Madagascar amanhã!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s