Madagascar, ir ou não ir?

Sempre quis conhecer Madagascar, mas devido aos incidentes do inicio do ano, onde dezenas, talvez centenas de pessoas morreram, achei que não seria desta vez. A situação mudou um pouco. Existe um governo transitório por golpe de estado, mas muitos países ainda não aceitam o novo governo. O presidente deposto vive no exílio e tenta voltar, enquanto um antigo presidente tenta entrar na onda das mudanças e voltar para o poder. As informações da Embaixada do Reino Unido não eram muito animadoras, mas os residentes insistiam que nunca um estrangeiro seria afetado, a não ser que participasse de alguma manifestação. As próprias manifestações não estavam mais acontecendo, pois os políticos finalmente sentaram para conversar.

Abaixo as informações que o governo do Reino Unido passam para os britânicos viajantes.

There has been political unrest in Madagascar since January 2009, which has resulted in a number of deaths.  The political situatiuon remains fluid and subject to unexpected change. For further information plse see the Political Situation and Local Travel sections.

  • We advise against travel to the centre of Antananarivo unless absolutely necessary.  While most of the demonstrations have now ceased the situation remains unstable and visitors should avoid any crowds or political gatherings which may occur particularly around the Ambohijatovo, Lac Anosy, Ankorondrano and the Mahamasima areas.
  • In June, two artisanal bombs exploded in the centre of Antananarivo and a number of others were defused.  There were no reported injuries. On 18 July, one man was killed and two others injured when an explosive device they were carrying went off prematurely in their vehicle. It is unclear who is responsible for these attacks.
  • We advise visitors to Madagascar to travel with established organisations or travel firms who have the capacity to monitor the local media and warn of possible trouble.  If travelling independently we advise that you monitor the local media closely and keep abreast of the situation for the duration of your visit.  Business travellers should take similar precautions.
  • You should remain vigilant and maintain a low profile while moving around. You should remain alert to the possibility of acts of disorder by elements of the security forces and avoid any actions that might antagonise them, e.g. taking photographs.  You should also carry an ID at all times.  Avoid travelling at night.  If it is essential that you travel at night, do so with care and lock vehicle doors.

Como confiamos mais nas pessoas que vivem no país, que nos engravatados que recomendam que e melhor escovar os dentes com água mineral quando visitar o Brasil, não tivemos dificuldade em escolher Madagascar quando a Bibi adiou em 2 semanas sua volta para o Brasil.

Madagascar e diferente de tudo. E uma ilha que faz parte da Africa, foi povoada por povos da Malásia e Indonésia e colonizada pela Franca. Esta mistura cultural da um resultado fantástico, e ainda acrescentado por um isolamento geográfico de milhares de anos, o que proporcionou uma fauna e flora unica, quase que na sua totalidade endêmica. Pais com montanhas, desertos, praias paradisíacas, vilas intocadas. E um destino para agradar qualquer viajante. Desde o turista que só quer sol e água fresca (junto com ótima comida e praia) ate os mais exploradores e aventureiros. Esportistas? Sim, é possível mergulhar no mar azul, surfar, fazer trekking, percorrer o pais de bicicleta…

Os preços também variam bastante. Pode se viajar gastando entre 10 e 15 USD por dia (excluindo a passagem ate Madagascar) ou nos super hotéis, que são caríssimos e para poucos (podendo passar dos 1000 USD por dia).

O destino mais famoso e o Norte, muito conhecido pelos europeus (praticamente franceses e italianos) que invadem a ilha de Nosy Be. Confesso que estávamos pensando em iniciar a viajem por la, mas ao comprar um guia no aeroporto, não precisei passar do primeiro paragrafo da descrição para achar o destino muito “previsível”. Os estrangeiros usam muito as agencias turísticas, que recomendam voar por causa das longas distancias e estradas ruins. Ruins? Soube que tem ate asfalto… Conversei com a Bibi e mudamos os planos (que planos?). Em vez do norte, iriamos para o sul, passando por alguns parques nacionais e cidades interessantes ate chegar a praia. Transporte? Taxi-brouse, os Daladala/Matatu daqui, que claro que não são recomendados pelas agencias, mas que já estamos bem acostumados.

Chegamos no aeroporto de Antananarivo e tivemos a grata surpresa de que não precisa mais pagar pelos vistos. Tentativa desesperada de recuperar o turismo que desapareceu este ano devido aos incidentes políticos.

Estava sacando dinheiro num caixa automático quando um japonês veio perguntar se queríamos dividir um táxi ate o centro. Topamos e fomos junto com sua amiga, também japonesa. Acabamos indo todos para o hotel que eles iam, e desistimos de ir para o que nos tínhamos escolhido. No aeroporto muitas pessoas ofereceram carros para alugar, e passamos o endereço do hotel para conversarmos mais tarde.

O caminho ate o hotel mexeu comigo. Nunca fiquei tao empolgado ao chegar numa cidade. Talvez meu sentimento na chegada em Katmandu-Nepal e Chiang Mai-Tailandia possa ser comparado, mas naquelas vezes eu vinha do Brasil, o que causava um choque muito maior. O hotel era super simples e super barato. Saímos para caminhar e buscar alguma coisa para comer. Queijos, paes, doces de confeitaria se misturavam com frutas, comidas africanas. A cidade, com seu tom avermelhado, espalhada por colinas com suas construções de bela arquitetura. Soube em uma fracão de segundo que estávamos certos de estar ali.

Tana

Tana

 

Bairros

Bairros

 

Arquitetura

Arquitetura

 

Taxi

Taxi

Pegamos algumas coisas para comer e voltamos para o hotel para discutir o plano da viagem, tudo com uma vista magnifica de Tana (apelido da cidade). Os japoneses (que agora eram 3, pois encontraram outra no hotel) mudaram seus planos para ir com a gente. Depois de uma longa negociação com um dos caras que ofereceram carro no aeroporto, decidimos alugar um carro com motorista. A ausência de estrangeiros no pais derrubou todos os preços e resolvemos aproveitar.

Anúncios