London Calling!

A despedida da Bibi no aeroporto em Roma era a despedida da viagem. Nao tinha mais como se enganar, tinha terminado. Ela iria passar o dia seguinte em Madrid e eu estava indo para pouco mais de 24 horas em Londres. Desta vez nao iria a Londres para nenhuma programacao especifica, mas tinha uma missao importante: conhecer o Dan, noivo da Gi, minha irma mais nova.

Peguei o onibus do aeroporto ate o entro e eles ja estavam me esperando. Nao via a Gi desde o ano novo na Tailandia e foi muito legal. Me dei bem com o Dan e nao demorou muito para eu estar fazendo brincadeiras do tipo, ta faltando a aprovacao do irmao mais velho, e mais tarde, trouxe um papel com datas para voce escolher…

Foi legal de ver que eles tao morando num apartamento bacana, em Highbury, e passaram da fase estudante de se amontoar num apto com um so banheiro e um monte de gente (fase dura, mas muito importante). Minha ultima hospedagem seria um couchsurfing, mas bem mais familiar! Fomos jantar em Stroke Newington, junto com uns amigos deles. Comemos num restaurante turco muuito bom, e Londres pode nao ser tao cara se souber escolher os lugares. Fiquei conversando a maior parte do tempo com o Gustavo, amigo nosso a muito tempo. Esticadinha para um pub e conheci os tal de “Hipsters”, nova moda em Londres. Nao vou passar muito tempo descrevendo os figuras pois a Gi me passou um link, e as imagens valem mais que palavras… Deem uma olhada, muito bizarro!

http://www.latfh.com

Conversei bastante com o Dan, e ele ate preparou um British Breakfast. Tentava falar mais portugues para ele treinar e sabe que ele ta falando bem. Tempo ruim, frio para meus padroes, de depois de um tempo no apto, fomos para outro pub ali ao lado. O dia voou e logo estava me preparando para ir para o aeroporto. Nunca tomo nada para dormir, mas a Bibi tinha me dado um dramin e tomei para garantir o sono, ja que estava ansioso. Acordei e ja estavamos chegando na Cidade Maravilhosa!

Anúncios

Barrado no país do faz de conta!!

Cheguei em Dubai naquele voo vazio, e logo me informaram onde era o local onde tiraria o voucher. Tinha toda uma estrutura para isto. Tava ate empolgado. Mesmo não “indo com a cara” de Dubai, sempre e legal conhecer um lugar novo, para pelo menos poder falar do que viu, não do que imagina. A funcionaria pegou minha passagem, cadastrou no computador, e me devolveu. Falou que como eu tinha viajado num voo promocional, não tinha direito a transporte, visto, hotel, só tinha direito a uma refeição. Não desisti, contei da minha viagem, expliquei que era a primeira vez que voava com a Emirates, que eles tinham me informado que seria a mesma coisa… Mas não adiantou. Resolvi tentar um visto de transito com o funcionário da imigração. Ele falou que dependia da documentação do mesmo lugar que tinha ido. Final das contas falaram que o visto era atrelado ao hotel, e que com as taxas, se pagasse 188 USD podia ficar um dia. Dei uma boa risada na cara deles, agradeci e sai.

O aeroporto da uma ideia, mesmo que limitada, da cidade. Palmeiras gigantes, pequenos lagos, tudo artificial (e brega). Fui explorar um pouco o aeroporto, ver que lojas que tinha, onde dava para dormir. Acabei descobrindo que tem internet gratuita. Atualizei uns posts, escrevi e-mails, tudo de pé, porque teoricamente era para ficar pouco. Logo tava me sentindo no filme “O Terminal”, acho que e do Spielberg, com o Ton Hanks. Seriam quase 22 h ali. Usei pela primeira vez o site www.sleepinginairports.net que teoricamente deveria dar dicas de bons lugares para se dormir…hehe Optei por uma poltrona semi reclinada. Tinha direito a almoço ou janta, e acabei escolhendo o almoço. Um buffet indiano, bem completo, com direito a repeteco. Depois tomei um cafe e fiquei lendo la no restaurante mesmo. Como tinham muitas frutas, não achei que faria diferença levar umas para depois. Tentei falar com a Bibi antes dela sair de Londres, mas nao deu.

Muito tempo depois, próximo da chegada do voo, ficava andando de um lado para o outro esperando a Bibi chegar, e não tinha o acompanhamento das chegadas, só dos voos que iam sair. Toda hora eu tinha que perguntar se o voo tinha atrasado. Atrasou um pouco, mas logo ela chegou, para minha tranquilidade. Tínhamos poucas horas para o voo, e ficamos grudados, se curtindo, mas a saudades não passa tao rápido… Já no avião, conseguimos três poltronas pois o voo não estava lotado. Fomos super bem atendidos pelo comissario de bordo que era brasileiro. Alias, desde que sai do Brasil, o lugar que mais vi brasileiros foi em Dubai, todos cheios de sacolas de compra, felizes da vida…

Com três poltronas foi bem melhor. Dormimos super bem e acordamos quando já estávamos chegando na Malásia.