A Chegada

O Voo de SP para Joanesburgo atrasou 30 minutos, então eu teria somente 40 para passar na imigração, despachar a bagagem e embarcar para Cape Town.  Após me darem carimbo para 90 dias, o oficial da alfândega me parou e tive que abrir a mochila. Depois de me perguntar se estava empregado, e se estava a passeio ou trabalho, ele queria saber quanto tempo eu ficaria na Africa do Sul. Respondi que uns 20 dias, e ele me olhou assustado e disse: ” mas não e pouca roupa?”. Eu respondi que quando sujava eu lavava… (Elementar meu caro Watson)

Mais atrasado ainda, sai eu correndo para embarcar. Furei fila num guichê last minute e inacreditavelmente consegui pegar o voo, coisa que muitos não conseguiram, inclusive minha bagagem. Cheguei em CT no final da manha, e esperei mais 2 horas para ver se minha mochila vinha no vôo seguinte, mas não veio. Fiz a ocorrência e segui para Long St, que é a região mochileira, assim como Karsanroad em Bangkok e Thamel em Katmandu. Região com hospedagem, comida, cerveja (e) baratas.

Já com lugar para dormir, liguei para a SAA para ter notícias, mas nem sinal da mochila. Aproveitei para deixar o endereço e o fone da onde eu estava, pois se achassem não me encontrariam.

Com Jet Lag  de 5 horas, bagagem perdida, e o empenho de ter que ficar ligando para a SAA, não pude aproveitar muito o dia.

Lição numero 1: Desapego

Quem me conhece sabe que não sou muito apegado a coisas materiais, mas com minha mochila tinha um apego sentimental. Preferia ela velha que uma novinha. Sorte que sempre levo uma cueca extra na bagagem de mão, assim como escova de dente e desodorante.

No jantar, depois de ter dado uma cochilada, já estava recuperado, jurando que não precisava de 50% do que estava na mochila.

Anúncios

3 comentários em “A Chegada

  1. Grande Canigia!

    Não sei se já te contei essa.

    Quando eu fui pra Santiago e perderam a minha mala, um velhinho praticante de Reiki me disse que era bom que eu tivesse perdido! Isso poderia representar uma nova “mochila”, com novas coisas dentro…

    Bem apropriado pra começar um período sabático! Repensar o que carregamos e concluir que o que realmente é necessário pra vida é muito menos do que costumamos levar conosco.

    Boa viagem e mantenha atualizado o seu diário de bordo!

    Abração,

    • Lembrei da tua historia. Nada de tenis confortavel, so havaianas…
      Minha ,ochila chegou no dia seguinte, mas a refleccao ja tinha sido feita….

      Abs

  2. Acho que foi muvuca de algum surfista que perdeu a prancha. Mas é bom se desapegar mesmo. Quanto menos coisa tiver para carregar, melhor!

    Estou no aeroporto de Quito, esperando um vôo para Lima e depois SP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s