Mad 2

Seguindo estrada a paisagem foi ficando mais desertica. Uma fileira de baobas apareceu e o cenario se transformou. Ficava cada vez mais desertico. Dificil de imaginar que a floresta tropical tava relativamente perto. A Bibi nao estava se sentindo bem desde manha. Estavamos em duvida se era a alimentacao, gripe ou algum outro problema. Reclamava de dores de cabeca, no corpo, indisposicao. Fiquei com medo que ela tivesse com malaria, mas nao falei para nao assustar. Chegando em Ranahira vi o primeiro bom hotel e nem pensamos em procurar outro. A Bibi nem desceu do carro, e num momento de desespero comecou a chorar. Quem ficou desesperado fui eu, mas como nao ia adiantar em nada ja fomos perguntando onde era o hospital, para fazer o teste de malaria e se consultar. Nada de hospital. PQP! Bem, vamos para uma farmacia. Tava fechada mas tratamos de acordar a responsavel. Consulta basica, nao nos disse para tomar nada que nao tinhamos no nosso kit de primeiro socorros. Ah, para garantir ela ja tomou as tres pilulas anti-malaria. Depois de repouso, sopa e medicamento fomos ver que deve ter sido uma infeccao alimentar. Melhorou so com antibiotico.

Estrada

Estrada

Arvore simbolo

Arvore simbolo

A cidade e pequena, e na rua ficam dezenas, nao, centenas de pessoas esperando turistas. Sao guias, desesperados por trabalho, que tentam te ajudar de qualquer maneira na tua chegada para que ele seja o escolhido. Aparentemente nao tem muitas atividades/alternativas para tanta gente desempregada com o baixo turismo.

Como nao da para fazer tudo ao mesmo tempo e nem queriamos fazer varias atividades correndo, tivemos que selecionar algumas (o parque de Isalo e bem grande). As condicoes fisicas da Bibi nos ajudaram a tomar as decisoes mais rapidamente, tendo em vista que muitas delas exigiam longas caminhadas. Aqui tem um grande canion, e caminhamos ate proximo das paredes destes para ver uma familia de Lemurs. Nao tivemos muita dificuldade para localiza-los. Muito bonitos, estavam relativamente proximos, mas nao muito ativos. Ficamos observando esta que era a 4 especie de lemurs que viamos. Depois caminhamos entre o canion, onde o deserto arido se transformava num local umido e mais fresco, devido a abundante vegetacao. Muito bonito o lugar.

Nova especie de Lemur

Nova especie de Lemur

Canion

Canion

Fomos almocar na cidade e a Bibi trocou a sopa da noite anterior por batatas cozidas. O fato de estar com apetite ja era um bom sinal. Fomos numa cachoeira do outro dado do parque. Caminhada gostosa, e uma linda cachoeira com um poco de agua transparente e geladissima. A Koku e o Gaku entraram, e eu tava sem bermuda de agua. Como nao dava para perder uma oportunidade destas, fui de cueca mesmo, detalhe que era branca…haha! Agua muito, mas muito gelada. So nadando ate a queda para tomar um banho de “ducha” para esquentar. Voltamos em ritmo acelerado para poder pegar o por de sol em outra regiao. No caminho fomos surpreendidos por um grupo muito grande de Lemurs, muito maior que o habitual. Eles passaram por nos sem cerimonia, e fomos os acompanhando. Estavamos com sorte com os Lemurs!!

Uh, sai da frente...

Uh, sai da frente...

Cachoeira

Cachoeira

Pegamos o carro e seguimos para o ponto recomendado para o por de sol. Chegamos na hora exata. Pena nao estarmos la antes, para poder curtir um pouco mais. Foi um momento muito legal, com uma super energia. Todas aquelas formacoes rochosas, com aquela luz. Acho que era o que a Bibi precisava para se recuperar completamente.

Visual

Visual

 

Energia

Energia

Dia seguinte mais estrada, sentido Touliar, ja na praia.