Perguntas & Respostas

Este não e um guia de viagem. Muitos já foram escritos, e são bem completos. São dicas e respostas de como nos viajamos, mas existem muitas outras formas. Crie a sua.

PLANEJAMENTO

–  Como vocês fazem o planejamento da viagem?

Planejamos a viagem buscando informações na internet, em sites de  viagem, principalmente o Thorn Tree do lonely planet e o conchsurfing. Também lendo guias e livros sobre os locais, alem de trocar informações com outros viajantes. Mas, definitivamente, nos não sobre-planejamos.

Que guias utilizam?

Para a Africa acho o Bradt o melhor, para a Asia (e outras regiões em geral) o Lonely Planet. Não somos escravos dos guias. O que mais gosto são os mapas e informações gerais. O guia deve servir somente como um “norte”. Hotéis listados nos guias tendem a subir de preços, enquanto existem outros bons e novos ao lado, para serem descobertos.

Que site utilizam para fazer reservas de hostels?

Nada de Trip Advisor ou Hostel World (que dentre outras, são boas opções . Não fazemos reservas de hotéis  Chegamos e vemos o que gostamos. Isto sempre nos deu flexibilidade e nunca tivemos problemas. Gostamos de chegar e olhar 2 ou 3 hotéis  que geralmente ficam muito perto uns dos outros. Só tem que tomar cuidado com festivais e alta temporada.

MOCHILA

– Mala ou mochila?

Perguntou para a pessoa errada. Mochila sempre!!! Mala é pra quem viaja de taxi hehe.

Que tamanho?

Depende muito para onde vai. Acredito que de 45 a 65 litros e o tamanho ideal. Em alguns lugares podem te cobrar uma passagem a mais caso tua mochila seja grande. Não deve passar de 10 kg. 10% do peso é uma ótima referencia.

O que levar?

Roupa para uma semana. Você vai lavar as roupas e não carregar elas sujas!! Se estiver na duvida, não leve. Sempre é mais barato comprar alguma coisa no exterior do que no Brasil. Tem muito lugar que lava um cesto de roupa por 1 dólar.

Lap Top, Celular, camera profissional, Tablet, MP3?

Para a volta ao mundo, não levei Lap Top, mas comprei um na metade da viagem. Facilita (principalmente se tiver blog), mas você vai gastar mais tempo na internet do que deveria. Principalmente se tiver WIFI e boas almofadas. Mas e bom poder abusar do Skype de vez em quando. Da para baixar as fotos da câmera digital. Tem a questão do peso e do valor,  sem você fica desencanado com a mochila (principalmente se ela e amarrada no topo de um caminhão ou esta num barco onde pode molhar/virar).

Fui sem celular, mas a Bibi trouxe um para mim. Não usávamos um chip do Brasil. Íamos comprando dos países e mandávamos msg de texto e nos ligavam do skype. E bom para falar que esta vivo, mas pode ter certeza que você não vai querer estar pirando em um momento da viagem e alguém ligar para falar nada.

Vi algumas (poucas) pessoas levando tablet/leitor livros. Ainda era o início desta tecnologia. É o futuro, mas aquela coisa, tem que cuidar pra não quebrar, tem o medo de deixar largado… Livros pesam mais, mas eu ainda prefiro. Carregue 3. Um para trocar (já lido), outro que esta lendo e outro para ler quando terminar.

O mp3 também tem os dois lados. Pode ser muito bacana escutar aquela musica favorita num momento especial, porem você tende a usar mais do que deve. Com isto vai escutar menos sons locais e deixar de conversar com pessoas interessantes. Eu não levo, mas a Bibi leva.

Existe também uma polemica quanto a maquina fotográfica  Eu levava uma maquina de bolso. Simples, leve, barata. Mas as fotos não vão ter a melhor qualidade. Depende qual a sua finalidade. Pensei em comprar uma “maquina de verdade”, mas acabei só dando um upgrade na minha. Assim como todos os outros eletrônicos  a questão de não se preocupar prevaleceu. Independente da sua maquina, a sua memoria vai trazer imagens muito mais bonitas que suas fotos . Quem advoga contra as câmeras  diz que você perde um tempo para tirar fotos, e acaba não aproveitando o momento, o que não deixa de ser verdade em algumas situações. Cuidado com isso!!

CUSTOS

– Quanto custa uma viagem de volta ao mundo?

E relativo. Depende o lugar e a velocidade que se viaja. Não existe certo ou errado, vai do estilo e interesse de cada um.

Tem gente que viaja sem gastar nada (e sem roubar!), somente na “desobediência civil”. Pegando trem sem pagar, ficando em Squats. Mas vai sempre depender da boa vontade de outras pessoas.

Outros gastam um dinheirão,  comendo em super restaurantes e ficando em super hotéis  em regiões só para turistas e vão absorver muito pouco do lugar, porque só vão ver turistas e coisas preparadas para estes.

Eu acho que na media de 20 a 30 USD por dia da para fazer uma super viagem (com todos os gastos inclusos), pegando poucos voos.

Tem lugares que você vai gastar 5 usd para ficar num chalé de montanha, com super vista, comendo 3 refeiçoes  Este lugar pode ser uma praia super bacana também. Ai você pega um voo e sobe um monte a media.

HOSPEDAGEM

Camping? Te da a oportunidade de acampar em qualquer lugar, por mais isolado que seja. No inicio da viagem acampei bastante na natureza, em parques nacionais, ao lado da casa de alguém e no jardim de alguns hotéis  Tem que gostar, acampar para economizar não vale. Sem contar o peso da barraca.

Couchsurfing? E muito bacana, mas e um intercambio, não deve ser com o intuito de economizar. Muito bom para conhecer as pessoas locais, entender sobre historia, politica e dia a dia do lugar. E possível se encontrar com alguém sem se hospedar na casa. Vale muito a pena. Fizemos muitas amizades, porem também encontramos pessoas bem esquisitas.

Vale a pena fazer carteirinha de albergue?

Acho que não  Eu fiquei em um ou outro, mas com a Bibi nunca ficamos em albergues. Muitas vezes e mais barato ficar em hotéis ou pousadas simples ou alugar um quarto. Não e em todos os lugares que existe o conceito de albergue. Nos sempre ficamos em quartos privativos.

TRANSPORTE

– Passagens RTW

Nunca usei. Pode valer a pena para quem pula de um lugar para o outro, e principalmente se for passar pela Oceania.  As passagens só de ida são muito baratas, principalmente se você utilizar os Hubs das companhias (o que estas passagens de volta ao mundo fazem). Portanto você pode comprar separado. O grande problema do RTW e que vc fica amarrado, perde a flexibilidade, e tem que montar um roteiro sem saber do que vai gostar.

Para mim, não vale a pena.

– Como eram os transportes? Pegaram carona?

Usamos tudo. Aluguei carro, peguei carona, alugava scooter, viajava de ferry, barco a vela, mas os mais comuns eram os trens e ônibus  Se aprende muito sobre um pais nos transportes coletivos. Pegamos poucos voos, que eram sempre a ultima opção  Pegamos algumas caronas, mas em alguns locais esperam que você pague o valor do ônibus  Isso depende muito do local que você está e pode também ser a sua unica alternativa.

SEGURANÇA

– Não e perigoso?

Com certeza menos que no Brasil!! Sendo brasileiros, ja tomamos os cuidados básicos  Problemas acontecem em todo o mundo, mas de maneira geral, tirando poucas exceções, no Brasil e mais perigoso.

Se viajar de forma simples, sem muitos valores, de transporte publico, pode ter certeza que não sera um alvo.


– Foram roubados?

Pegaram a passagem de um ônibus de dentro do meu bolso na Etiópia  Mas mesmo assim viajei sem ter que pagar novamente. Fiz um teste, e algum turista levou meu óculos de camelô quebrado, num quarto comunitário de um templo na India. Também  um vendedor ambulante não voltou para entregar o meu troco em um trem na India.

DIA A DIA

– Como fizeram com os vistos?

Normalmente direto na fronteira ou na embaixada mais próxima. Vejam o post Visto para brasileiros . Outros sites legais para consulta são :  Project Visa e Schultz Vistos

– Como levar o dinheiro?

Eu levo um valor em dinheiro para emergências  e cartão de credito/debito para saque. Procure estimar quantos dias vai ficar no pais e tentar fazer um só saque, já que normalmente existe uma tarifa para esta operação.  Poucos países não tem caixas eletrônicos   Caso vá passar por um deles, se abasteça no anterior.

Nunca utilizei TC, e normalmente a cambio nao e muito bom.

O visa travel money garante o cambio. No passado teria sido muito útil,  mas nos últimos tempos é até pior, pois o dólar só tem caído  Eu nunca usei na volta ao mundo. Se você aplicar o dinheiro, e fizer um resgate automático, deve sair ganhando.

Com o novo IOF, pode valer a pena, dependendo do teu cartão de débito/crédito.

– Comida?

Sempre comida local, tipo os PFs da região  Muitas vezes tem um macarrão a bolonhesa para quem cansar. Comprávamos frutas e pequenos lanches  entre as refeições, alem de alguns jantares mais sofisticados.

– E tranquilo viajar sozinho?

Muito tranquilo. Para muitos a melhor forma de viajar. E pode ter certeza que você só fica sozinho, se quiser. Vai encontrar muita gente viajando. Mesmo no período que a Bibi tava no Brasil, eu nunca estive sozinho.

Quanto tempo em cada lugar?

Não tem um tempo certo, isto vai de cada um. Umas pessoas vão mais rápido, outras mais devagar. A Bibi sempre queria ficar mais nos lugares. Mas e importante dar uma parada as vezes, achar o teu lugar.

Como e o acesso a internet?

Em geral tem internet cafes por tudo. No Sul da Africa (inexplicavelmente) a internet não era boa. No sudeste Asiatico tem WIFI por tudo. Outros lugares cumpriu o dever.

SAÚDE

Que vacinas tomaram, levaram kit de primeiros socorros?

Somente vacina de febre amarela. O medicamento para Malaria e bem controverso, e devido ao longo período que passaria em áreas de risco, achei melhor não tomar, devido ao efeito colateral e mascarar os sintomas.

E bom levar um Kit básico,  só com o essencial. Em geral os medicamentos são muito baratos, por serem financiados pelos governos. E bom levar a bula do remédio, no caso de algum questionamento na fronteira.

Fizeram seguro viagem?

Outro assunto controverso. Em países “em desenvolvimento”  o custo de um procedimento vai ser muuuito baixo. Dificilmente vai conseguir liberar a consulta pelo seguro, vai ter que encaminhar para reembolso. Vai ser um super trabalho para recuperar 15 ou 20 USD. Um seguro bom e barato como o World Nomads ,  vai te custar em torno de US$ 1260,00. São R$ 2100,00 Reais. Se este dinheiro ficar aplicado da para pagar vários procedimentos médicos  Existe sempre um risco de um problema mais grave. Na duvida, use. Algumas vezes usamos outras não.

Já andamos de ambulância  tivemos algumas consultas medicas, compramos remédios  fizemos exames, e tudo junto não passou muito de US$ 50,00

OUTRAS PERGUNTAS

– Porque escolheram lugares tao “exóticos” para viajar?

O foco foram países menos desenvolvidos. Estes países ainda estão em processo de mudança e tem uma cultura muito forte. Os países ricos tendem e ser mais parecidos um com o outro, por isto queria ver lugares antes da padronização (globalização) acontecer. Para ajudar são muito mais baratos.
– “Vou filmar muitas coisas também… Como é isso? Você pegava a câmera em qualquer lugar? Ou só filmava onde estava muito seguro que não incomodaria ninguém e que não seria assaltado?”

Muitas vezes não da para filmar, pois quebraria o clima, a naturalidade de um fato. Fica so a memoria mesmo!

Medo de assalto não atrapalhou nenhuma filmagem/fotografia. Só em fronteiras ou regiões militares que tomávamos os devidos cuidados.

– Sair dizendo que é brasileiro, ajuda?

Ajuda muito, principalmente na Africa e Oriente medio. São loucos por futebol. Leve uma camisa da seleção  mesmo que não seja fã de futebol. Eu ate levava umas para dar de presente.

– E melhor levar balas ou canetas para distribuir quando vai fazer trekking?

Nem um nem outro. Você deve tentar passar o mais despercebido possível  Nao crie a imagem nas pessoas de que o estrangeiro vai dar algo a eles. Desta forma começam a mendigar, e fica ate chato algumas vezes. Nada como ir para lugares onde você só desperta curiosidade. Se quer dar canetas, vá a uma escola e faca uma doação.  Em vez de simplesmente dar dinheiro, pedíamos para alguém lavar nossa roupa, cozinhar e assim por diante. Desta forma se sentiam valorizados.


72 comentários em “Perguntas & Respostas

    • Oi Wesley, tudo bem?
      Existem alguns outros lugares bem baratos, porem a qualidade e baixa…
      No sudeste asiatico tem precos bem baratos, porem e’ facil se perder no budget com os “extras”.
      Considero a India o melhor custo beneficio dos paises que ja fui.

      Abs,

  1. sou do tipo que não gosto de levar cameras em viagens e tambem acho que as melhores lembranças ficam na cabeça.
    Bem legal essas perguntas e respostas.

    aproveitem e voltem bem e logo.

    nuno

    • Dai Nuno!!

      Mas no teu caso ainda tem o agravante que vc lida com elas todo dia, e dai vai querer ferias!!!!haha

      Estamos aproveitando bem, logo, logo voltamos e dai vcs podem sair mais uma semaninha para viajar sozinhos 😉 (pq com as criancas sei que vao viajar umas 10 vezes ate nos voltarmos!)

      Abs

  2. Eu acredito que isso seja uma pergunta meio frequente, mas como vocês estão fazendo com grana? Economizaram tudo antes de ir, estão trabalhando por ai, como está sendo?

    Quero muito fazer uma viagem assim, mas muita coisa anda pesando, e uma delas é essa. 😀
    Obrigada!

    • Oi Fabiane, tudo bem?!
      E verdade, ja nos perguntaram muito isto.
      No nosso caso, economizamos antes para gastar depois. Nao queremos trabalhar na estrada, pois cria um vinculo com o lugar, e uma visao mais unilateral do lugar.Nao queremos fazer parte de nenhum sistema. Deixamos isso p/ casa.
      Nao e barato, mas possivel para muita gente (quem tem que sustentar familia, filho, dentre outras coisas e outro caso).
      Para quardar dinheiro se tem que gastar menos do que ganha. Existem duas saidas: Ganhar mais ou gastar menos.
      Vamos fazer uma “conta de padeiro”. 25 usd x 365 x 1.6 = 14600 reais
      Uma viagem barata vai te custar 15000 reais por ano. (tem gente que vai me crucificar porque acha que custa muito menos, outros acham que custa muito mais, mas depende de cada um)
      Ai vc tem que fazer escolhas. Tipo, vc quer comprar um carro ou quer viajar? Para gastar menos vale parar de fumar, beber, viajra nos feriados…(pagar tudo a vista, viver no “juros zero” tambem e uma boa) Encontramos muita gente na estrada que abdicou de muita coisa durante bastante tempo para curtir um ano inteiro de viagem.
      Ja tem outros que buscam ganhar mais. Um amigo nosso esta na sua segunda volta ao mundo, e acumulava 3 empregos. O sacrificio vai deponder da situacao financeira de cada um, mas muito esforco pode compensar.
      Um cara, considerado o maior viajante da Europa, e um espanhol, que ja deu umas 5 voltas ao mundo (alem de dezenas de outras viagens). Ele lava pratos em regioes turisticas da Espanha por 6 meses, e depois viaja os outros 6.
      E possivel ir trabalhando na estrada tambem, e tem muita gente quye faz isto. Em bares, albergues, aula de ingles, de mergulho… Hoje encontramos um italiano que ta viajando e trabalhando ha 5 anos!!!
      Isto e assunto para um livro, de tanta coisa que tem!!hehe
      Mas so te digo uma coisa. Seja para quem vende o carro para viajar, seja para quem economizou um pouquinho ou se matou de tradalhar, vale muuuuuuuito a pena!!!
      Boa sorte!!

      • Muito obrigada pela resposta! Bom, vai depender do meu emprego também. Ainda sou uma estudante que está em um ramo que meio que não “aceita” largar tudo e dar uma volta ao mundo. Mas tudo é muito relativo e quando eu chegar no mercado de trabalho vou poder analisar essa situação melhor. Realmente não queria trabalhar durante a viagem, pelos mesmos motivos que vocês, e muitos outros mais. Estou pensando em me formar, me dar um ano de férias, e entrar para o mercado. Vamos ver, ainda tenho 2 anos pela frente! Dá para economizar uma grana legal… Isso não é tão difícil assim… É tão bom ser desapegado as coisas materiais. Mas o cinema pode ficar para depois.

        Muito obrigada! E boa estrada para vocês!
        Beijos

      • E ae Caniggia?? Tudo blz?
        Cara, sempre quis saber tudo isso aí, mas achava que ia ser clichê demais. Outra coisa que sempre quis saber… Caso ocorresse uma tentativa de assalto, sempre usaria do bom e velho muay thai ou apenas dependendo da ocasião?
        Sei que não é muito atrativo, mas fica o convite pra aparecer por Sengés novamente. Grande abraço e que Deus os acompanhe.

      • Tudo bem Gabriel?!!

        A arte marcial te ensina nao so a se defender, mas a ter uma postura diferente. Este postura te livra de muitas coisas na vida, um simples olhar ou forma de falar e’ mais eficiente que um soco. Mas em ultimo caso, com certeza ajudaria.

        Mas o “mundo” e bem mais seguros que os brasileiros pensam. Dos paises que fui, acho que so’ Africa do Sul e Mexico estao no mesmo (ou ate maior) patamar de violencia urbana que o Brasil.

        Abracao!

  3. Oi Gui, acompanho vc pelo seu blog já tem um bom tempo… rs tb sonho em conhecer vários lugares, mas é meio que uma “utopia” para mim… mas pelo menos a Turquia e Israel ainda irei conhecer, estou me esforçando $$$ rsrsr para isso, pena q terá q ser por excursão, acho q vc aprende e conhece muito mais de um lugar indo da forma q vc e a Bibi faz.
    Um grande abraço para vcs!

  4. Olaaa ! estou em viagem a trabalho e hoje, gracas a Deus, com facilidade a internet , já que a noite durante a semana fico na area rural sem acesso a net. Estou literalmente perdida …. e achei o seu site ;o) …… não li ainda muita coisa, mas deu para pescar algumas coisas ….. já não sou tão mochileira , como já fui nos meus vinte anos …. rsrsrsrsrs então hoje em dia valorizo um hotel bacana, não precisa ser 5 * , mas um intermediario é sempre bem vindo . … esse ano terei férias no inicio de dezembro e coincide com a minha “lua de mel”, já que não fui liberada no trabalho em outubro quando caso. Inicialmente estava pensando no interior da Italia, mas dezembro me dá um pouco de receio do frio ….. estou pensando na Africa do Sul …. seria uns 15 a 18 dias no maximo. O q vc me sugere ?
    vi numa agencia , bem rapido , um pacote tipo uma semana em cape town e uma semana em mauritius. bem carinho !!!!
    escutei falar que malawi , tanzania são bem bacanas …. mas não sei bem por onde começar , meu noivo não é muito fã de passeios alternativos …. mas estou tentando ver com ele a possibilidade desse passeio …….. ou tirar de cabeça a Africa e fazer um mais tradicional, tipo cuba ou mexico com alguma praia no caribe.
    duvida cruel né ! rsrsrsrsrs
    Abraços e parabens pelo blog.
    Silvia

    • Oi Silvia,

      eu tambem tive problemas para sair de lua de mel, so me liberaram uma semana. Acredita que eu casei no civil e meia hora depois estava trabalhando?! Ainda bem, assim valorizo ainda mais a viagem!!!haha
      Tanzania e muito legal, dava para combinar safaris com Zanzibar, mas e um pouco alternativo, apesar de existir alto padrao em ambos os lugares. esqueca o malawi. E fantastico, mas se teu marido e “conservador” nao vai dar certo.
      Africa do sul nao tem erro!! E a melhor opcao pra quem nao quer invntar muito. Olhe o Blog da Pulp conteudo, tem varias dicas bacanas para Cape Town nao mochileira. http://www.blogdapulp.wordpress.com
      Depois de CT ainda da para ir pela rota jardim ou fazer um safari.
      Discordo com vc da idade para mochilar. Acho que vai muito mais de estilo do que de idade. encontramos um casal de suicos com mais de 60 anos e de mochilas nas costas. Na asia central tem muito mochileiro mais “maduro” hehe.
      Boa viagem!!!
      Abraco

  5. Ola, poderia me ajudar?

    Estou indo pra Cazaquistao, sei que posso retirar o visto no aeroporto, mas me parece que eles solicitam uma carta convite. Sera que mesmo tenho alguem me esperando la no aeroporto, realmente tenho que mostrar esse documento?

    Obs.: Irei com passagem de ida e volta.

    Grato!

    • Oi Danyel,

      Sim, a carta convite e necessaria. Vc vai ter que passar pela imigracao e pegar o visto antes de encontrar com os seus anfitrioes. E simplesmente burocratico.
      Querem que uma empresa seja responsavel por vc. Vc tira esta carta via internet, leva so uma copia para o visto.
      Acho que eu coloquei o link de uma empresa que utilizei, a stanstur.

      Qualquer duvida e so faar.
      abs

  6. Grande Guilherme….Quando volta para o Brasil? E os treinos, teve alguns nestes lugares? O Ronald vai ser papai, o Rodrigão logo vovô rsrsrsrsr, e aí quando voltar de viajem tem novidade srrsrsrsrs? Abração, que Deus acompanhe vocês.

    • Dai Nilceu!!
      Voltamos em Outubro, e ja vou para o Amapa na sequencia. Nada de treinos desta vez. Fiqei sabendo do Ronald. Do rodrigo ser avo nao sabia, alias, que eu saiba vc que ja tem filha grande…haha
      Nos nada de novidades por enquanto!rs

      Abracao

      • boa noite Guilherme, não achei um contato seu ai resolvi escrever por aqui, Estou planejando uma viagem como a sua e gostaria de saber sobre o Myanmar, é possível atravessar ele da Tailândia até a ìndia por terra? ou não pode rodar solto lá dentro? e sabe me dizer se em Nova Déli tem embaixada do Quirguistão, Cazaquistão, Usbequistão etc?

        Valeu

        James

      • Oi James,

        Grandes mudanças estão acontecendo no Myanmar, mas acredito que estas regras ainda são as mesmas:
        Da Tailândia vc não pode atravessar para o Myanmar, somente nas cidades das fronteiras, ou poucos km dali. A fronteira com a Índia é fechada para estrangeiros. Não pode entregar nem sair por lá. Vc vai ter que pegar um vôo mesmo. Lá dentro existe certa liberdade, mas não pode viajar para varias regiões.
        Em Nova Delhi acredito que encontra embaixadas destes países que vc citou. Só lembre que aproximadamente um mês antes de ir, precisa solicitar uma carta convite para poder tirar o visto do Cazaquistão e Uzbequistao.

        Abraço e boa viagem!!

  7. Oi Guilherme, tudo bom?
    Fiquei impressionado com seu blog e obviamente com a viagem que está fazendo. Eu não estou dando a volta ao mundo, mas estou há 10 meses viajando entre a Índia e o Oriente Médio. Em dez dias estou indo para o leste africano para dar continuidade a meu projeto pessoal de aprendizado na área de desenvolvimento social e pobreza. Vi que você viajou no leste africando exatamente para a região que vou e pensei que npoderíamos trocar uma ideia. Também li que a escolha dos países foi pensada um pouco com essa lógica de países em desenvolvimento, e me interessei ainda mais.
    Se você tiver um tempo, por favor de uma olhada no site do meu projeto, chamado Mochila Social: http://mochilasocial.weebly.com
    Sou jornalista e mantenho um outro blog (onde escrevi sobre a india, oriente medio e pretendo continuar) em http://umjornalismosocial.wordpress.com
    Seria um prazer conversar com você em algum momento.
    Um abraço e aproveite!

    • Primeiramente parabens pelos blogs!!! So dei uma olhada por cima, mas deu para ver a qualidade.
      Sabe, as vezes me acho meio egoista, por estar vendo tanta coisa, aprendendo tanto, e nao estar atuando como vc. Parabens pela iniciativa, e vou ajudar a divulgar com certeza!!
      Boa viagem e manteremos contato.

      Abs

  8. Olá, Eu sou Helena e trabalho para uma produtora de televisão no Rio de Janeiro. Queria falar um pouco com vc perguntar algumas coisas sobre lugares que vc viajou na África. Vamos para lá agora fazer uma série de 20 programas e queria saber se vc poderia me passar alguns contatos.
    Desde já obrigada.
    Helena

  9. KALASH / KALECH. Sou de origem libanesa islã, porém descobri que nossa família é judia oriunda desta tribo/povo que vcs relatam na viagem. No relato que tenho somos descendentes de Afgano, neto de Saul que fundou no Vale dos Três Mundo nossa tribo que foi escravizada por Nabucopolasar (700 AC). Sou tido como meio fora de órbita porque falo estes fatos. Vcs que estiveram lá o que me dizem? Quais são os indícios de que estou certo ou errado?

    • Ola, Tudo bem?!

      Olha, eu ate ja escutei esta historia, mas acredito que estes fossem os Judeus Afegaos, que nao eram poucos. Os Kalash sao um povo Ariano, enquanto os Judeus Semitas. Um povo encontrado em regioes isoladas da India foi apontado como sendo uma das tribos perdidas de Israel. Menash se nao me engano. Conversamos inclusive com uma israelense que foi visita-los. Neste caso e mais provavel, devido as tradicoes e religiao. Se os Kalash viveram tanto tempo isolados, nao imagino que desenvolveriam costumes e religiao tao distinta do judaismo. Mas esta e so minha opiniao.

      Abs

  10. É surpreendente isso! Deve ser porque estamos acostumados a viver na “bolha” ou no “aquário” que pensamos que o mundo lá fora é muito pior do que imaginamos, mas pelo visto, muita coisa é mais calma e tranquila do que aqui. Devia considerar a ideia de escrever um livro sobre historias que passaram por aí.

  11. Olá amigo, sou novo por aqui, mas estou planejando uma viajem por 15 paises da africa. Sou diretor de TV e Cinema e acho que meu projeto é muito bacana. De tudo que li por ai, gostei muito da sua experiência e preticidade, gostaria muito de falar com você sobre o meu projeto, na verdade, gostaria de tenatr te envolver nele. de possivel me mande um contato seria bom se pudesse falar direto com você. Meus contatos são estes,xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx – Alexandre Perim.
    Aguardo um retorno.

  12. Saiporai,
    Curti (muito) ver o seu blog e assistir alguns vídeos no you tube. Sou begginer de viajante, conheço poucos países mas planejo viagens constantemente.
    Voce poderia me passar sue e-mail?
    Valeu!

  13. Muito bom o Blog, parabéns! Encontrei o blog por meio de pesquisas na internet, pois estou planejando passar 3 semanas na África do Sul.

    Vi que respondeu muitas perguntas que pairavam em minha mente. Porém, ainda tenho uma dúvida: Como faz/fez com relação à língua?
    Acredito que muitos países têm sua própria língua ou dialeto local. Comentou que o objetivo é também conhecer outros lugares “não tão turísticos”, e não aqueles que já estão “preparados” para o turista. Desta forma, imagino que não deve ser muito fácil encontrar pessoas que falem inglês. Estou certo? E aí, como faz? Compra algum livreto, procura estudar antes? Muito complicado?

    Abraços e boa sorte nas futuras jornadas!

    • Oi Bruno,
      realmente fora das rotas mais tradicionais não tem como falar inglês. Vale tentar aprender palavras básicas, mas com certeza vai utilizar muita mimica. Tudo é mais fácil do que parece, e com o tempo as coisas vão fluindo. Muitos países do Sul e Leste da África foram colônias inglesas, então o inglês é falado nos grandes centros.
      Muitos países tem vária línguas, então mesmo que você aprenda a principal, não é garantia de comunicação. A Índia é um bom exemplo.
      Não existe uma ruptura, tipo, daqui para frente não se fala mais inglês. Então nos transportes vc vai encontrando pessoas, vai conversando, aprendendo palavras novas.
      A África do Sul já é bem desenvolvida comparada aos seus vizinhos, fácil de se viajar por lá. Vc vai se divertir tentando aprender Xhosa e Zulu. São linguas difíceis por causa dos “cliques”com a língua.

      Para nós, a região mais difícil na questão de língua foi a Ásia Central, onde a segunda língua é Russo!! Mas nada te impede de ter longas conversas depois de umas vodkas…rs

      Abraço!

  14. Gui, vou tirar as dúvidas pelo tópico mesmo. Primeiro quero só te situar sobre minha vontade e tudo mais:

    Sempre me excitou a ideia de algumas aventuras, principalmente relacionadas a viagens. Porém nunca fiz nada que mereça destaque (talvez a vez que voei de parapente), apesar da vontade. Também sempre pensei em intercâmbios, todos sem sair do papel pelo motivo de eu não gostar de pedir muita coisa pros meus pais, querer fazer tudo com meu esforço.
    Aí vi a boa reportagem de você e da Bibi no site da globo e resolvi fuçar o blog. Viciei em ler a viagem de vocês (falta uma grande parte ainda) e me despertou aquele sentimento forte. Depois de pesquisar um pouco aqui no blog, vi que mais do que nunca é possível eu planejar uma longa aventura, principalmente no aspecto financeiro (com duração de um ano, a priori).
    Então gostaria de perguntar umas coisas pra ver se a viagem sai do papel no fim do meu curso de graduação (dezembro de 2014):

    1- Tendo em vista o longo tempo que possuo até a data imaginada, o que posso ir fazendo visando ajudar na viagem? Pensei em acampar por alguns lugares que encontrar aqui perto de onde moro (Presidente Prudente – SP), visando adquirir experiência e ver se tenho gosto por acampamentos (que você disse que a pessoa tem que gostar, pois para economizar não vale tanto a pena). Pensei também em treinar escalada em uma academia aqui da cidade e, posteriormente, em lugares aqui perto também, caso queira praticar durante o mochilão. Existe outras dicas do que posso “adiantar”?

    2- A média de 20 a 30 dólares por dia da viagem citada, está inclusa as passagens de ida e volta? Os vistos? E acha que o valor até lá estará muito defasado (sem considerar a mudança do valor do dólar)?

    3- Caso seja necessário, é fácil arranjar empregos temporários, seja por dinheiro, seja por comida e local para dormir? Se depender da região, quais são mais complicadas de serem feitos tais processos?

    4- Caso eu resolva passar por grandes centros (na Europa, por exemplo): o custo é muito mais alto ou consigo manter a média se procurar bem por albergues e outras opções, por exemplo?

    5- A decisão da permanência em cada cidade creio que depende da pessoa e do momento. Mas e o roteiro de qual país e cidade vai visitar em seguida: foi a maioria pensado na hora ou a maioria antes?

    6- O que não posso esquecer de levar de maneira alguma, que não conseguirei comprar lá ou as vezes necessita na hora e não dá para esperar ir comprar (remédio, por exemplo)?

    7- Com relação ao inglês: serve o básico, ou o intermediário? E você volta falando melhor?

    8- Com relação a negociar, em outras palavras, “pedir desconto”: sempre devo fazer, depende da região (quais mais ou menos)?

    Bom, acho que é isso. Caso apareça outra dúvida, continuo neste comentário. E obrigado pela atenção, desculpa o tempo tomado.

    • Oi Pedro,
      Que bom que vc tem tempo para a viagem. Da para estudar muita coisa e ir amadurecendo aos poucos. Muitas vezes nossas idéias iniciais se transformam bastante.

      1- Acampar e praticar atividades que vai fazer durante a viagem é sempre uma boa. Não adianta sair para uma caminhada se não tem condicionamento físico, não é?! Procure ler bastante. Livros sobre as regiões, literatura de viagem e romances locais também. Veja filmes e pesquise nos Blogs. A atividade que vc vai fazer no brasil é diferente da que fara na viagem pois é outro ambiente, portanto tente se familiarizar.
      2- A questão do dinheiro é muito relativa, como falei anteriormente. Sim, da para fazer uma média de 25 usd com passagens incluídas. Poucos voos e longo período de viagem resultam nisto. Algumas regiões são mais caras que as outras. Gastar mais tempo nas regiões mais baratas ajudam a fechar a conta.
      3- Existe sites especializados para empregos temporários. Vc nunca vai “ganhar”dinheiro. Ganha uma grana para se pagar. Alguns empregos oferecem uma cama e comida se vc limpar uma pousada ou trabalhar em uma fazenda orgânica. Normalmente vc tem um dia de folga, mas tem os “achados”, que vc trabalha só meio período, ou limpa um barco para viajar por semanas entre ilhas…
      Instrutor de mergulho te da emprego em praias paradisíacas, mas vc vai pagar as contas, não mais do que isto. Mas ta bom, não?!
      4- depende que parte da Europa. Mas é bem mais alto sim. Em contrapartida é fácil de pegar carona, fácil de conseguir um sofá no couchsurfing.org e por ai vai.
      Se vc ficar meses na Índia gastando menos de 15 usd, isto te da uma margem para passar rapidinho na Europa Ocidental gastando mais.
      5- Velocidade da viagem é a coisa mais pessoal. Depende se vc é ativo, enjoa fácil, gosta de ir com calma. Mas numa viagem longa não pode planejar tudo. Planeje o global, cuidando com temporadas de chuva/frio), por exemplo. Depois vá um país por vez. Está num país, planeje o próximo e assim por diante. Somente algumas regiões mais difíceis de se viajar é que exigem um grande planejamento com antecedência. Importante é saber o que vc está fazendo, mesmo que não saiba em qual hotel vai dormir, entende?
      6- Isto é muito relativo, depende da região. Eu levava um pequeno kit de primeiros socorros. Minha mochila é super básica, poucas coisas. O que eu levava, se perdesse encontraria facilmente em qualquer lugar, provavelmente mais barato que no Brasil.
      7- Inglês básico serve, intermediário melhor, avançado melhor ainda. Uma outra língua ajuda mais 😉 Mas da para se virar sim. Viajei por regiões onde o Russo era a segunda língua e tive altas conversas sem falar uma palavra rs . Se vc tem tempo, se empenhe para melhorar o inglês! Vai melhorar com certeza ao longo da viagem, pois vai praticar diariamente. As vezes cria algum vicio, pois é mais fácil falar de uma forma simples e direta, mas não é um grande problema.
      8- Isto é bem regional, não custa tentar 😉 Em muitos lugares é uma arte, eles querem que vc negocie, faz parte da inteiração. Lembre de nunca explorar ninguém e tratar com educação.

      Qualquer coisa é só falar!
      abs

    • Oi Rafael.
      Nas listas de perguntas eu falo um pouco sobre os custos, de uma lida que acredito que vai tirar sua duvida!
      O mundo é tão grande que sempre descobrimos novos lugares extraordinários. No blog já tem uma lista de países, e logo vamos adicionar outros. Ao ler os posts alguns lugares vão te chamar a atenção e para outras pessoas, outros lugares! Esta diversidade que é show!!

      Abs

  15. Ola Guilherme, assisti sua reportagem no Jô, e adorei, pois é uma das coisas que tenho muita vontade de fazer. Apesar que já conheço uns 65 países, sendo os mais conhecidos, entre as americas, europa, e alguns na Asia, ainda não tive a oportunidade de ir a Africa, Oceania e outros tantos países da Asia, o que me faz querer fazer algo parecido como você. Acho que vou trocar mais umas idéias contigo, se você permitir, depois que eu ler todo o seu Blog e de sua esposa.
    abraços e parabéns pela coragem e audácia…

    • @Tony, por algum motivo teu comentário passou despercebido. Poxa, 65 países já é um numero de respeito 😉 Iriamos adorar trocar umas ideias. Espero que tenha gostado do conteúdo do blog e livros! Abs

  16. Oi. Li a reportagem hoje an fsp. Ao ver seu sobrenome, lembrei-me de um grande amigo meu Eduardo, de mesmo sobrenome que o seu. Alguma ligação? Sou de maringa. Grande abraço.

  17. Olá!

    Bom, primeiro que tudo quero te dar os parabéns pela fantastica escolha e pela coragem de largar tudo e sair por ai conhecendo esse mundo maravilhoso que é nosso!

    Descobri seu blog hoje graças ao programa do Jô que passou pela Globo Internacional. Eu sou americano, nascí e crescí aqui em NY. Eu tbm sou louco por viagens e sou apaixonado por outras culturas e tal. Ja tive a sorte de viajar bastante pela America latina, inclusive no Brasil. Passei 1 ano e meio viajando nas terras tupiniquins, ai aprendi falar português! 🙂 –

    Eu nunca viajei de mochila mas estou programando a minha primeira viagem ao redor do mundo de mochila, sozinho! Seu blog esta muito maneiro e super informativo, tirei bastantes duvidas mas antes de seguir escrevendo, gostaria de saber se você e a Bibi ainda continuam lendo e respondendo as mgs heheh, pois gostaria de trocar uma ideia.

    Se estiverem na estrada, desejo muita sorte pra vcs!

    God bless you.

    • Oi Fernando, que legal que apareceu na Globo Internacional! Um ano e meio viajando pelo Brasil deu para vc conhecer um pouquinho, né?! 😉
      Estamos aqui sim! Qualquer duvida é só perguntar que se pudermos ajudaremos!
      Abraço

  18. Bom dia guilherme, venho acompanhando o seu trabalho e de sua esposa e lhe dou meus parabéns pela iniciativa. Aproveito para perguntar quanto tempo você fez de cape town para muscat e quanto tempo você acredita que seria o ideal. Pretendo realizar essa viagem em breve.

    • Obrigado Leonardo!
      Eu demorei quase 7 meses. Foram 17 países. Tempo é relativo e depende do interesse de cada viajante. Acho difícil fazer muito mais rápido que isto passando por todos os lugares que fui. Mas se cortar alguns países, tentando fazer uma linha mais reta, pode-se “ganhar”alguns meses. Lembrando que eu fui de transporte público quase toda a viagem (tirando o sul da africa que fui de carro e carona).
      Cheguei a conhecer pessoas que fariam da Cidade do Cabo até o Cairo em menos de quatro meses. Mas era uma viagem bem mais regrada, conhecendo muito menos lugares e interagindo menos também. Passavam por menos países também.
      É uma super viagem, passando por regiões incríveis!! Recomendo altamente!

      Abraço,
      Guilherme

  19. Gostei muito do site, parabéns!
    Estou agora para fazer uma viagem e estou em dúvida entre a India e a Jordânia (com Egito).
    O que vocês acham?
    Valeu!

    • Obrigado André!
      Egito eu não conheço, então não posso falar.
      Adoramos tanto a Índia quanto a Jordânia. São destinos bem diferentes entre si. Jordânia é calma, pouca gente, tons pastel. Índia é colorida, intensa, caótica. Jordânia é bem mais cara que a Índia e Índia tem muito mais coisa para fazer. Fatores que vc tem que levar em conta na sua decisão.
      Que época do ano vc iria? Quanto tempo?

      • A ideia é sair em agosto. Vou organizar tudo via internet (passagem, hotel, aluguel de carro). Como viajo sozinho e nunca fui para esses países mais “extremos”, tenho um pouco de receio quanto à segurança, especialmente porque levo bastante equipamento fotográfico (mais do que roupa)! O povo desses lugares é amistoso, recebe bem o estrangeiro/brasileiro? Abraço

      • André, se vc vai dirigir e não tem muita experiência, diria Jordânia com certeza! Agosto ainda é o final das montões, chove muito em algumas regiões da Índia. Considero ambos os países seguros e hospitaleiros. Na Índia, nos lugares turísticos, são bastante insistentes. Jordânia é uma experiência bem mais light. Se bem que vc iria para o Egito, que dizem ser intenso.
        Mas será. Bem recebido em qualquer uma das viagens!! Eu diria para iniciar na Jordânia e depois ir para o Egito.
        Abraço,

  20. Olá Guilherme!

    Ótimo site, obrigada por compartilhar essa viagem

    Acho que li todo o Blog e agora estou lendo o livro da rota da seda, mas não estou achando informações sobre quantos dias durou essa viagem. Fiz umas contas pelas datas das postagens, mas acho que pode acontecer de algumas postagens serem feitas bem depois do dia da viagem…
    Tem algum lugar falando dos dias em cada pais? Quanto tempo durou para atravessa de Istambul a Nova Délhi?

    Eu e meu marido estamos programando uma viagem longa, pretendemos ir da Indonesia em direção ao norte, no inicio o planejamento era ir até Pequim e lá pegar o trem até Moscou, de lá ir pelo leste europeu até a turquia e dar um pulo no Irã, mas lendo seu blog deu muita vontade de continuar do Irã até a India ou não ir para a Russia e quando chegar na China atravessar até o Irã…

    Preciso ir em Uzbequistão, que lugar incrível, que arquitetura linda!

    Não li todos os comentários, desculpe se já foi respondido…

    Obrigada

    • Oi Patricia, tudo bem?! Obrigado pelo elogio! É uma delicia esta parte do planejamento, né?! Que show está viagem que vão fazer!
      Esta etapa da Rota da Seda durou quase 7 meses, depois de Nova Délhi ainda voamos até a ilha Andaman para um merecido descanso. Gastamos um tempo na Índia (regiões que não conhecíamos), porem muito pouco na Turquia (tínhamos estado lá no ano anterior). Separe pelo menos 4 meses para este trajeto. Da para fazer mais rápido, mas tem muita coisa interessante. Ficamos um mês no Irã e teríamos ficado mais se pudéssemos. Turquia da para ficar mais de um mês fácil e Índia vários meses. Somando todas minhas viagens para a Índia já fiquei mais de 4,5 meses lá, e tem muita coisa bacana para conhecer ainda. Uzbequistão ficamos uns 20 e poucos dias e foi muito. Quirguistão ficamos quase um mês e Paquistão também. Turcomenistão visto de transito de 5 dias. Cazaquistão é gigante, mas muito deserto. Depende se vai até Astana, mas se ficar só no sul acho que 10 dias a duas semanas tá bom.
      Qualquer duvida é só perguntar!
      Abs

  21. Muito obrigada pela resposta. Por enquanto vou planejar uma média de 3 meses sem contar Turquia, Irã e Índia pois já estavam no meu roteiro. Turquia já morei alguns meses lá e só vou tentar passar rápido, Índia já tenho planejado 2 meses e Irã tinha planejado 25 dias. Todo mundo que já rodou o mundo pergunto qual pais mais interessante, sei que é uma resposta difícil, mas muitos citaram Irã, os que não citaram é pq não tinha ido hehe
    Obrigada
    Abs

    • Legal, 3 meses sem contar com estes 3 países já da para explorar bastante! Tem muita coisa bacana que tem que ser aproveitada com calma. Não adianta chegar, ver e sair. Tem que ser vivido! 🙂
      Bom planejamento e boa viagem!!

  22. Olá Guilherme, já faz algum tempo que acompanho seu blog e acabei de ler seu livro sobre a África.
    Tenho que admitir que, além de me inspirar, me tranqüilizou muito em relação a fazer uma volta ao mundo por países ¨fora do circuito¨.
    Finalmente em fevereiro próximo embarcarei em uma que deve me tomar todo o ano.
    Eu tenho algumas dúvidas pontuais as quais, se possível, gostaria da sua ajuda:
    1) Em vários momentos do livro você relata ter parado em pequenas cidades ou regiões muito bacanas como, Lamu no Quenia, Pemba na Tanzania, as cidades às margens do Lago Malaui e a Ilha de Socotra no Yemen.
    Como você sabia sobre a existência e viabilidade de visitar estes locais?
    Pegava alguma informação pela região ou andava a esmo mesmo?
    Gostaria de visitar não só as capitais e locais mais turísticos, mas nunca sei onde vale a pena ir ou é uma bela ¨roubada¨
    2)Percebi que usou bastante o couchsurfing e teve boa e nem tão boas experiências.Eu nem sequer tenho perfil no site ainda.Vale a pena investir nisso como meio de conhecer pessoas ou em albergues (que são meu intuito) posso ter uma experiência satisfatória também?
    3)Eu pretendo conhecer toda a Ásia central e em seu post sobre vistos, está faltando como conseguiu o do Turcomenistão e se tentou o do Tadijiquistão.Li em outros lugares que pro Turcomenistão costuma ser bem difícil, como foi?
    Também entrei em contato com a empresa que você indicou para conseguir a necessária ¨carta convite¨ e achei os preços altos.A partir de US$60,00 podendo chegar até a US$100,00 só por isso.
    Caso eu faça reserva em algum hotel dos países que a exigem, eu consigo uma diretamente?
    4)Por fim, tenho muita vontade de conhecer a Arabia Saudita, mas li que não há visto para turistas, só para negócios ou parente de alguém que mora lá.
    Você tem alguma informação que possa ajudar?
    Agradeço desde já a atenção e peço desculpas se este não era o caminho para fazer estas perguntas, mas realmente não achei outro mais direto.

    • Oi Rodrigo tudo bem?! Fico muito feliz que tenha te inspirado! O melhor lugar para as perguntas é aqui mesmo 😉
      1- Eu tinha um guia velho, que dava um norte. No mais era no boca a boca mesmo. A internet está ai para descobrir muitos lugares, mas outros surgem só na estrada mesmo. Informações de outros viajantes são muito boas. As vezes vai cair numa roubada, mas isto faz parte.
      2- faça o perfil do CS, não custa nada. Nas capitais africanas é bem fácil conseguir. É uma maneira diferente de se relacionar com o lugar. Muitos lugares nem tem hostel, apenas hoteis simples. Mas com certeza consegue interagir, seja com estrangeiros com o dono, garçom ou hospedes 😉
      3- Tirei o visto do Turcomenistão no Irã. Leia os posts de lá que conto mais. Mas é um dos mais difíceis. Com guia é fácil e caro, eu tirei o de transito. Tadj deixei para uma outra viagem. Questão de logística e tempo mesmo. Pretendo voltar e incluir o norte do Afeganistão.
      A carta convite é cara mesmo. Pode tentar outras empresas. Normalmente vc tem que comprar um pacote com hoteis e tudo mais. As que vendem so a carta convite enfiam a faca mesmo. Só Uzb e Caz que vc precisa (Não pode sozinho, mesmo com hotel), os outros não.
      4 Arabia Saudita vc pode tentar um visto de transito. Seriam poucos dias, mas é bem mais fácil. Apesar de não ter ido, acho que os vizinhos devem ser bem mais interessantes. Tente, mas se não der certo tem uma duzia de outras opções 😉

      Qualquer coisa é só falar!
      Abraço

  23. Oi Guilherme, obrigado pela resposta.
    Sobre os vizinhos da Arábia Saudita, já conheço Dubai e não acredito que Abu Dhabi, Qatra ou Bahrein sejam muito diferentes.E
    stá programada uma visita a Omã, porém, meu sonho mesmo é o Iêmen.
    Li sobre sua visita lá,o problema é que atualmente a Al-Qaeda tem feito das suas de sempre e os rebeldes xiitas tomaram a capital.
    Vou monitorar a situação, mas é pouco provável que tenha segurança o bastante até o meio do ano que vem…
    Abraço.
    P.S.:Comprei a versão digital do livro sobre a Rota da Seda e estou adorando.Parabéns.

    • Pois é Rodrigo, infelizmente o Iêmen é carta fora do baralho no momento. O “Empty quarter”vc pode ir no lado de Omã se não conseguir o visto da Aarabia Saudita. Eu gostaria de ir para lá para conhecer Mecca, mas é proibido para não muçulmanos…
      Tente o visto de transito, soube de algumas pessoas que conseguiram. A Debora, do “Revista Viagem” esta morando na AS, quem sabe não te da umas dicas ou consegue uma carta convite para vc 😉
      Abração!

  24. Olá Guilherme,
    Vi o vídeo de vocês no Vira Volta. Me apaixonei pela viagem e fui procurando mais. Vi a entrevista no Jô, os blogs e por aí vai. Posso dizer que de certa forma me sinto até amigo de vocês (só pelo número de sorrisos que me tiraram).
    Estou planejando uma viagem também. Também planejo ir com o vento, sendo minha única meta pisar nos “cinco principais” continentes.
    Você simplesmente respondeu todas as minhas dúvidas, pelos posts e pelos comentários que fui lendo. Então passei só para agradecer mesmo por vocês serem pessoas tão inspiradoras.
    Obrigado!!!!!

    • Muito obrigado Thiago!!
      Escrever da um super trabalho, e estas mensagens são a maior recompensa! Também me sinto amigo de todos que comentam aqui. Alguns já vieram até me visitar em Curitiba e outros já viajaram comigo 😉
      Boa sorte no teu projeto e aproveite muito!!

      ps- já leu os livros 😉

      Abração

  25. Oi!! Tudo bem?? Te acompanho a algum tempo, muito legal!! Então, eu tenho alguns planos para fazer uma viagem em 2016, meu foco é principalmente Africa e Asia, Africa Oriental. Minha preocupação é com o transporte. Já estive em Moçambique, em Beira, e não utilizei muito transporte coletivo terrestre. Gostaria de partir de Moçambique e subir pelo Malawi, Rwanda (talvez), Tanzania, Kenia e Etiópia, e de lá seguir para Asia, via o golfo árabe. Consigo me locomover sozinha e de ônibus, trem ou barco, em segurança? Adoraria receber algumas dicas, serviriam até como incentivo!!! Obrigada, Carol!!

    • Oi Ana! Que legal que está planejando tua viagem! Moçambique é um dos piores lugares para transporte terrestre. No norte do país são poucos os ônibus e saem muito cedo. Mas totalmente possível. Todas estas regiões tem transporte publico, onde não tem ônibus tem as lotações. O trajetos entre Tanzânia e Ruanda é bem “duro”, e entre o Quênia e Etiópia cansativo e longo. Eu adorei, mas tem que gostar de uma aventura, entende? Da para viajar sozinha sim. Não sei qual é sua experiencia de viajar sozinha, mas tem que tomar as devidas precauções é claro. Sempre tem mulheres viajando, o interessante é sentar perto delas e tentar se “enturmar”. As mulheres tendem a proteger outras mulheres. Quando perguntarem se esta viajando sozinha diga que vai encontra com o teu marido/namorado no próximo destino, que está te esperando…
      Procure no forum Thorn tree do lonely Planet, sempre tem relatos de mulheres viajando sozinhas. Muitas vezes vc vai encontrar outros viajantes e podem seguir parte do caminho juntos.
      Mzuri Safari!

      • Oi!! Obrigada. Legal .. vou fazer isso sim. Já viajei sozinha, mas sempre com certa “segurança”, hotéis, avião, essas coisas de viagem de negócios / diversão. Sozinha desse jeito, meio “Into the Wild” vai ser a primeira vez. No seu livro sobre a Africa tem algo sobre essa viagem que você fez? E obrigada pelas dicas!!! 🙂

  26. Que site é esse? Se soubesse teria entrado nele antes das minhas viagens. Talvez até pensaria em outros destinos. Ainda não conheço a Europa. Só fiz roteiros “exóticos” até agora, Egito, Dubai, Matchu Pitchu, Patagônia, Indochina. Achei interessante seu gosto para destinos incomuns.
    Vou viajar com minha mãe em maio/junho e estamos em dúvida entre Alemanha (sul), Eslovênia e Croácia (Frankfurt, Heidelberg, Floresta Negra,Titisee, Lindau, Fussen, Neuschwanstein, Wieskirche, Oberammergau, Linderhof, Abadia de Ettal, GarmischPartenkirchen, Innsbruck, Munique, Rothenburg, Zagreb, Ljublijana, Bled, Postojna, Plitvice, Split, Dubrovnik) ou
    Croácia, Albânia, Macedônia e Montenegro (Zagreb, Plitvice, Trogir, Split, Dubrovnik, Budva, Shkodra, Tirana, Ohrid, Skopje, Kolasin, Centije, Kotor).

    Qual dos dois roteiros vc acha mais bacana?
    Alemanha, Eslovênia e Croácia tem alimentação cara?

    Obrigada.

    • Oi Yara, que bom que vc gostou. A questão dos destinos é muito pessoal. A primeira opção é mais ” padrão”, fácil porem mais cara. Sem muitas surpresas eu diria, apesar de linda. Eu escolheria a segunda opção, pois são em regiões em transformação. A Alemanha vai estar igualzinha em 15 anos. A eslovenia é belíssima, porem bem mais desenvolvidas que os outros países da ex-Iugoslávia. Tem que ver o que tua mãe prefere e/ou encara 😉
      Boa viagem!!

  27. Ola estou com uma grande dúvida dobre o Chipre eu e um amigo vamos chegar pela parte Norte e queremos cruzar para ir ao sul . Queríamos saber se é possível , tendo em vista que temos visto europeu de estudante ? A pessoa que entramos em contato no Chipre aonde vamos ficar disse que não é possível , mas vi no blog de vocês que sim em algum post, gostaria de tirar essa dúvida .

    Obrigado desde já !

    • Pode sim Caio! Só os cidadãos turcos que não podem. Tinham me falado isto também, mas depois soube de brasileiros que entraram pelo norte e saíram pelo sul sem problemas. Eu entrei e sai pelo aeroporto no Norte, mas atravessei a fronteira para o sul. Tudo está mais fácil, até qu tem comprovante de origem norte cipriota já tem cidadania européia. Só o pessoal descendente dos soltados turcos é que não podem atravessar.
      Boa viagem!!

  28. Olá, tenho lido muito suas postagens, mas continuo com uma dúvida sobre os vistos. Como comprovar que vou sair de um país sem uma passagem de saída para outro país? Vou fazer o mochilão de 2 anos por cerca de 50 países, preferencialmente sem usar avião, tenho medo de acabar barrada por esse problema. Pretendo pedir o visto pros EUA, por exemplo, na Costa Rica ou México, mas não terei passagem alguma pra apresentar.

    • Oi Aline, normalmente não pedem a passagem de saída do país, somente em alguns lugares mais chatos, como os EUA por exemplo. Eu tirei dezenas de vistos e nunca tinha passagem de volta. Usava passagens só de ida quando pegava voos, e só uma vez da Índia para a Jordânia encrencaram comigo pois queriam ver a passagem de saída. Bati o pé e no final deu tudo certo. Uma artimanha muito utilizada é de comprar uma passagem que tenha reembolso completo, e depois de pegar o visto cancelar a passagem. Outra possibilidade é de apresentar somente a reserva, sem ter o bilhete emitido. Se pedirem hotel, use o booking.com pois vc pode cancelar até 48 hs antes sem cobrarem nada. Mas na estrada os vistos sempre são mais simples (EUA, Austrália, Japão são complicados). Não sei qual é o teu trajeto, mas em geral as embaixadas estão acostumadas com viajantes que vão por terra, principalmente nos países que fazem fronteira. Da onde vc vai pegar o voo de saída da America do Norte? Canada? Pode ser que a embaixada dos EUA aceite este voo. Mas se quiser garantir, faz uma passagem e cancela depois.
      Qualquer coisa é só falar! abs

    • Oi Aline, normalmente não pedem a passagem de saída do país, somente em alguns lugares mais chatos, como os EUA por exemplo. Eu tirei dezenas de vistos e nunca tinha passagem de volta. Usava passagens só de ida quando pegava voos, e só uma vez da Índia para a Jordânia encrencaram comigo pois queriam ver a passagem de saída. Bati o pé e no final deu tudo certo. Uma artimanha muito utilizada é de comprar uma passagem que tenha reembolso completo, e depois de pegar o visto cancelar a passagem. Outra possibilidade é de apresentar somente a reserva, sem ter o bilhete emitido. Se pedirem hotel, use o booking.com pois vc pode cancelar até 48 hs antes sem cobrarem nada. Mas na estrada os vistos sempre são mais simples (EUA, Austrália, Japão são complicados). Não sei qual é o teu trajeto, mas em geral as embaixadas estão acostumadas com viajantes que vão por terra, principalmente nos países que fazem fronteira. Da onde vc vai pegar o voo de saída da America do Norte? Canada? Pode ser que a embaixada dos EUA aceite este voo. Mas se quiser garantir, faz uma passagem e cancela depois.
      Qualquer coisa é só falar! abs

  29. Oi Guilherme!
    Só ontem, felizmente, achei por acaso, ou não…, o ‘saiporai’ e o ‘tambemsai’.
    Envio esta mensagem, só para dar parabéns à vocês, pela coragem e sabedoria de viver os seus sonhos, e de inspirar tantas pessoas, como eu!!
    Abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s